Primeiro grupo de vacinados contra Covid-19 no Espírito Santo terá cerca de 35 mil pessoas, diz secretário

1

A Secretaria de Estado da Saúde do Espírito Santo (Sesa) anunciou na manhã desta sexta-feira (8) a previsão de início de vacinação contra a Covid-19 no estado para a última semana de janeiro. A data está em conformidade com o calendário previsto do Ministério da Saúde. A estimativa é de que cerca de 35 mil pessoas façam parte do primeiro grupo a receber a vacina no estado.

O anúncio foi feito pelo secretário de Saúde, Nésio Fernandes, durante uma coletiva de imprensa.

“O ministro da Saúde anunciou a compra de 2 milhões de doses de vacina contra o novo coronavírus que serão distribuídas para os estados e a vacinação terá início na última semana de janeiro”, explicou.

O primeiro grupo de vacinação é composto por profissionais da saúde, idosos que vivem em asilos e abrigos e indígenas.

O subsecretário de Vigilância em Saúde, Luiz Carlos Reblin, destacou que o Espírito Santo tem condições estruturais para começar a vacinação assim que as doses chegarem, como salas de vacinação que atendem os requisitos de armazenagem e seringas em estoque.

Em relação a preocupação com a falta de seringas para a aplicação das doses, o subsecretário informou que os municípios capixabas possuem cerca de 1,7 milhão de unidades em estoque e uma encomenda de mais 1,5 milhão de unidades chegarão no Espírito Santo na próxima semana.

Dessa forma, Reblin afirma que não faltarão seringas e as demais campanhas de vacinação seguirão ao longo do ano em paralelo.

Com o anúncio de compra por parte do governo federal da totalidade de doses da CoronaVac, produzida pelo laboratório chinês Sinovac em parceria com o Instituto Butantan, o secretário de Saúde informou que o Espírito Santo vai esperar o registro de vacinas de outros laboratórios para analisar a compra de doses para a população capixaba.

“A possibilidade da compra será técnica de vacinas seguras e eficazes para que a população tenha imunidade de rebanho sem o alto custo do óbito. Entendemos que as condições para enfrentar a pandemia está dada”, afirmou o secretário.

COMPARTILHE

COMENTE