Preço médio de gasolina chega a R$ 4,94 em cidades do Espírito Santo

6

O preço médio do litro da gasolina nas cidades do Espírito Santo já chega a R$ 4,94, segundo um levantamento da Secretaria de Estado da Fazenda (Sefaz). Em 42 dos 78 municípios do estado, o valor do litro do combustível passa dos R$ 5.

O monitoramento da secretaria foi feito entre 27 de janeiro a 2 de fevereiro. Das cidades pesquisadas, os maiores preços encontrados foram na região Sul. Castelo, foi o que registrou o maior preço médio, de R$ 5,27; seguido por Alto Rio Novo, R$ 5,24; Marataízes, R$ 5,23; Atílio Vivácqua e Muqui, ambos de R$ 5,18.

A gasolina mais barata foi encontrada na Grande Vitória. Em Cariacica, o preço médio foi de R$ 4,63; em Vila Velha foi R$ 4,71; em Serra e Vitória, R$ 4,72. Fora da Região Metropolitana, Iconha, no Sul, foi a cidade com menor preço por litro: R$ 4,64.

O Sindicato do Comércio Varejista de Derivados do Petróleo do Espírito Santo (Sindipostos-ES) afirmou que o custo de aquisição do combustível representa cerca de 90% do preço de venda da gasolina, sendo determinante nas flutuações de preços e na diferença entre o que é comercializado entre os municípios.

A tendência é de que a gasolina fique ainda mais cara. Nesta segunda-feira (8), a Petrobras anunciou aumentos dos preços médios de venda aos distribuidores da gasolina, diesel e GLP.

A gasolina, por exemplo, sairá da refinaria custando R$ 2,25 por litro, aumento médio de R$ 0,17 por litro. O novo valor entra em vigor nesta terça (9).

Essa é a terceira alta do ano nos preços da gasolina neste ano. Desde janeiro, a Petrobras já elevou em 22% o preço da gasolina – em dezembro, o litro custava R$ 1,84.

O Sindipostos informou que a variação do preço da gasolina entre a refinaria e o consumidor final depende de diversos fatores, entre eles estoques e estratégias de concorrência das distribuidoras e dos postos.

Ainda de acordo com o sindicato, o mercado é livre e sofre vários impactos, podendo os preços flutuarem para cima e para baixo em momentos diversos, inclusive de um dia para o outro, em um determinado estabelecimento, sem ter nenhuma relação direta com o aumento na refinaria.

Na bolsa de valores, as ações da Petrobras têm queda, com os investidores de olho na política de ajustes de preços de combustíveis e preocupações quanto à transparência das decisões da estatal.

A petroleira divulgou comunicado neste domingo (7) para reafirmar que não houve alteração no alinhamento dos seus preços de combustíveis em relação ao praticado no mercado internacional após ter confirmado na sexta-feira que ampliou de trimestral para anual o prazo limite em que calcula a paridade internacional de preços.

COMPARTILHE

COMENTE