Fala do cantor Leonardo sobre HIV e coronavírus em show causa repúdio em ativistas

4

No último domingo (15), um vídeo de Leonardo durante um show em Minas Gerais reverberou de maneira negativa. Ao interagir com o público, o cantor, em tom de brincadeira, comparou o coronavírus com o HIV. “Tanta gente com HIV e ninguém usa camisinha, porque temos que usar máscaras agora?”, disse.

O Fórum das ONG/Aids do Estado de São Paulo (Foaesp), coletivo que reúne mais de uma centena de organizações que atuam na luta contra a aids, manifestou nota de repúdio às declarações do cantor Leonardo.

“Sem considerar sua responsabilidade como formador de opinião e influenciador de milhões de fãs, o artista banaliza dois importantes agravos à saúde que mobilizam a sociedade brasileira: o HIV e o COVID-19”, diz o documento.

“Afora a desinformação –o  Ministério da Saúde estima em 866 mil as pessoas com HIV no País–, Leonardo presta um desserviço às ações de controle da circulação do corona vírus e às mobilizações de incentivo ao uso constante do preservativo.”

“Num momento em que a população busca apoio e modelos de ação, o artista equivocadamente faz “piadas” sobre temas sérios. Além disso, a redução de eventos com grande público tem sido uma diretriz das autoridades sanitárias, ao invés de colaborar com esta iniciativa –como fizeram diversos outros artistas– Leonardo mantém a agenda colaborando para a possibilidade de mais infecções.”

“Repudiamos tais atos, que se revestem de falsa ideia de “bom humor”, mas que em sua subjetividade causam danos imensos à saúde pública, prejudicam seus fãs e as ações de responsabilidade social e de solidariedade, tão necessárias nestes tempos difíceis.”

Desinformação

Ao contrário da afirmação do cantor, no Brasil não são 30 milhões de pessoas com o vírus, mas sim aproximadamente 866 mil pessoas vivendo com HIV, segundo o Ministério da Saúde. Entre elas, 593 mil estão em tratamento no país. Além disso, a distribuição e campanha para uso de preservativos é um pilar central do combate e prevenção ao HIV e à aids.

A pasta também não considera que o uso de máscaras seja uma medida necessária para a população geral, em relação à prevenção do coronavírus. O uso de Equipamento de Proteção Individual deve ser feito somente por pessoas doentes, contatos domiciliares e profissionais da saúde.

Para prevenir o Covid-19, o Ministério da Saúde afirma que as medidas gerais são o reforço da etiqueta respiratória, a prática de higiene frequente e a desinfecção de objetos e superfícies tocados com frequência, além do isolamento domiciliar ou hospitalar de pessoas com sintomas da doença.

A Agência de Notícias da Aids entrou em contato com a assessoria de imprensa do cantor para que ele possa se posicionar. Assim que houver uma resposta, a publicação será atualizada.

COMPARTILHE

COMENTE